POETA FRANCIS GOMES

POETA FRANCIS GOMES

PALESTRAS, OFICINAS, COMPRA DE OBRAS LITERÁRIAS.

CONTATOS:

contatos:
tchekos@ig.com.br
11 954860939 Tim
11 976154394 Claro

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Homenagem a Mogi das Cruzes pelo seu aniversário


Glória que a morte não leva


Salve, salve os filhos ilustres
Que neste solo fecundante pisaram,
Homens, ou talvez deuses
Desbravadores, por esta terra lutaram
Para nos dar de presente um futuro
Que sem ver, impolutos sonharam,

Como o bandeirante Braz Cubas,
Um dos grandes patriotas nato
As margens do Rio Anhembi
Embrenhado pelo mato,
Sonhou um sonho distante
Que hoje se tornou fato,

Antes, foste apenas um broto,
É hoje uma árvore frondosa,
Pelas lutas de teus filhos
Tornou-se aldebarã gloriosa!
De pequena fez-se grande
Entre as grandes, poderosa.

Quatrocentos e cinqüenta e quatro,
Anos de desafios e vitória
Muitos livros não dariam
Para contar tua história
Sant’ Anna de Mogy Mirim
Mogi das Cruzes de glória

O teu brasão na bandeira
Representa a labuta,
De teus filhos, teus heróis
Que não fugiram a luta
Glória que a morte não leva
História que o tempo não oculta.


                                            Francis Gomes

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Agenda do Poeta Francis Gomes



28/08/2014 , Com a Associação Cultural Literatura no  Brasil, no Sarau na APAE de Suzano, das 09:00 as 11:00.


28/08/20104,  Na escola Vereador João Marques 17:00 em Itaquá

30/08/2014,  Com o Escritor Sacolinha No Sarau na B Biblioteca Monteiro Lobato Guarulhos. 19:00




CORDEL O SEGREDO DE EVANDRO E EU

domingo, 24 de agosto de 2014

LANÇAMENTO DO LIVRO SEMEANDO VERSOS COLHENDO CORDEL DO POETA FRANCIS GOMES 23/08/2014

OBRIGADO A TODOS QUE SE FIZERAM PRESENTE ME PRESTIGIANDO 


















Agradecimento

A todos que se fizeram presentes no lançamento do meu livro, semeando versos colhendo cordel, amigos, amigas, colegas leitores e admiradores de meu trabalho, muito obrigado por terem me honrado com vossa presença abrilhantando meu evento.
Um beijo carinhoso no coração de todos.


Francis Gomes

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Francis Gomes lança “Semeando Versos Colhendo Cordel” neste sábado (23/8)



Noite de autógrafos será realizada às 19 horas, no Teatro Contadores de Mentira (Avenida Major Pinheiro Froés, 530, Parque Maria Helena, em Suzano)

O cordelista Francis Gomes lançará neste sábado (23 de agosto) seu mais novo livro, “Semeando Versos Colhendo Cordel”. A sessão de autógrafos será realizada no Teatro Contadores de Mentira (Avenida Major Pinheiro Froés, 530, Parque Maria Helena, em Suzano), às 19 horas, com entrada gratuita e aberta ao público em geral. Na ocasião, os interessados poderão adquirir o livro ao custo de R$  20,00.

Com 183 página, “Semeando Versos Colhendo Cordel” é uma coletânea que tem por objetivo enaltecer a cultura e o povo nordestinos. A obra conta ao todo com 15 textos acompanhados de ilustração cada um, direcionados a todos os públicos.  A cada página, o leitor contará histórias fictícias sobre diversos mitos e lendas do agreste brasileiro.

Cearense de Assaré, Francis Gomes diz que o livro tem como proposta a preservação da cultura nordestina, cuja população tem uma habilidade nata em contar histórias em geral:

“São relatos fictícios, como sobre a volta de Lampião, apelidos, O Caipira Feio e a Academia, entre outros,  que falam de acontecimentos do dia a dia e abordam assuntos sérios de maneira cômica, como a discriminação. Além disso, outro aspecto importante é que a maioria dos textos contam com uma linguagem regionalística, o que torna a obra oportuna para auxiliar o professor no trabalho em sala de aula”, diz.

SOBRE O AUTOR

Poeta, escritor premiado e cordelista, Francis Gomes nasceu Assaré, mas viveu em  Farias Brito, ambos no Ceará. Participou de oito coletâneas, três vídeos e dois CDs de literatura, sendo também um dos vencedores do primeiro festival de cordel da CTN (Centro de Tradições Nordestinas), em 2011. Foi presidente da Associação Cultural Literatura no Brasil por quatro anos. É autor de 22 folhetos de cordel e do livro de poesias “Ecos do Silêncio”. Faz palestras e oficinas sobre literatura, em especial sobre literatura de cordel, a importância de ler entre outros temas.


domingo, 17 de agosto de 2014

Meus queridos: Amigos e amigas, leitores e leiras e todos vocês que de alguma forma tem me ajudado na divulgação do lançamento do meu livro, SEMEANDO VERSOS COLHENDO CORDEL, que acontecerá dia 23/808/2014 no Teatro Contadores de Mentira Av Major Pinheiros Froes 530, Parque Maria Helena. Suzano.
Muito obrigado pela força, pelo carinho para com este poeta e o meu trabalho.
Um beijo no coração de todos. E Conto com a presença de todos vocês e seus convidados no dia do lançamento.

Curtam comido as primeiras imagens do livro, faço questão de dividir com vocês. Acabou de chegar da Editora.




domingo, 10 de agosto de 2014

PAI E FILHO



Pai, a onde for estarei contigo
E a onde eu estiver estarás comigo
Eis meu espelho eu sou o seu
Porque foi Deus que quis assim
Pois o é teu sangue que corre em mim
E em minhas veias correm o teu

Pelas estradas que sempre trilho
Tenho orgulho de ser seu filho
E uma esperança que de mim não sai
E eu tenho isso como meu guia
De que você também um dia
Tenha orgulho de ser meu pai

É uma ordem irrevogável
Por se divina é imutável 
Nem mesmo a morte tira este brilho
Geração vem geração vai
Para sempre será meu pai
E eternamente serei seu filho.

Francis Gomes



quinta-feira, 7 de agosto de 2014

A todos os pais

Estes dias além de me dedicar a correria do lançamento do meu segundo livro, SEMEANDO VERSOS COLHENDO CORDEL. Eu tenho o prazer de mais uma vez como todos os anos passados e até o final dos meus dias homenagear meu grande herói. A pessoa em eu me espelho para ser um ser humano cada dia melhor.
Respeitar e amar o Próximo, eu tenho o prazer de vos apresentar este poema.

Meu pai, meu orgulho



Pai, não sou um poeta, nem sou um artista,
Não saio em Tv, nem dou entrevista,
Mas quero passar-te a minha mensagem.
Pai, ela foi extraída do meu coração,
São simples rabiscos, transformei em canção,
Só para prestar-te a minha homenagem.

Pai perdoa se às vezes fui inconseqüente,
São coisas de um jovem de um adolescente
Que pensa que sabe as coisas da vida.
Pai perdoa se nunca falei que te amo,
Mas hoje para o mundo inteiro declamo,
Você é pra mim meu orgulho na vida.

Pai você sempre foi um bom conselheiro,
Além de um grande amigo,
Foi meu companheiro.
Quando eu mais precisei,
Sempre esteve presente
Meu pai você é meu orgulho,
Vai ser para sempre.

Você é lembrança eterna...
Em minha memória,
Num livro chamado de vida,
Você é minha história,
E se um dia eu casar,
E o Senhor me der filhos,
Meu pai, contarei para eles, sua história.
Francis Gomes

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

O POETA E O LIVRO



Ao lançar meu novo livro
É mais um filho a nascer
É mais responsabilidade
E mais trabalho a fazer
Mais histórias pra contar
Uma forma de se tornar
Imortal quando morrer

Por isso convido a todos
Os que curtem o doce mel
Também aqueles que curtem
O gosto amargo do fel
A todos sem controversos
Venha semear versos
Pra juntos colher cordel

Semear versos é o mesmo
Que semear alegria
Colher cordel é colher
Histórias do dia adia
É ser um pouco mais louco
E falar de tudo um pouco
Em forma de poesia

Ser poeta é brincar
De deus por alguns segundos
Viver por diversas vidas
Morar em diversos mundos
É trazer paz e espanto
Ser pecador e ser santo
Servir a limpos e imundos

Porque ser poeta é isso.
É ter tudo e não ter nada
É ter milhares de musas
Sem ter uma namorada
Às vezes ser fingidor
Falando da própria dor
Como se fosse engraçada

É ser triste enquanto canta
É cantar enquanto triste
É ser ateu e afirmar
Que Deus é bom e Ele existe.
O poeta tem muitas faces
Muitas vidas e disfarces
E em nenhum inexiste.

Francis Gomes

sábado, 2 de agosto de 2014

CONVITE ESPECIAL

TENO A HONRA E O PRAZER DE CONTAR COM A PRESENÇA DE TODOS AMIGOS, AMIGAS, LEITORES E LEITORAS QUE CURTEM MEU TRABALHO.


REPETIÇÕES DO PASSADO



Que vida é esta que nós vivemos agora?
Tudo não passa de um replay do passado
Ninguém não sabe quem é preso quem é livre,
E muito menos se é solteiro ou casado.

Se tem alguém ou se ele está sozinho
Para seguir trilhando esta longa estrada
Onde há momentos que a vida vale muito
E muitos outros que ela não vale nada.

E nesta estrada, o tempo voa, a vida passa,
Como um avião em alta velocidade
E nós paraplégicos, vendo vultos da vida,
Passar levando junto à felicidade

Não sabemos se a vida não nos aceita
Ou somos nós que não aceitamos a vida
Mas a vida tornou-se um mausoléu
E o mundo um labirinto sem saída.

É como um filme que alguém aperta pausa
O tempo passa, e ele fica parado
Anos depois outro vem e aperta o play
Pra ver de novo o velho filme do passado

E assim somos protagonistas de uma história
Repetições de vidas sem legenda,
Onde o autor pensou num conto de fada
E o roteirista simplesmente em uma lenda.

Tudo que existe, já existiu um dia,
E o que vivemos, em outras vidas viveram sim,
A mesma história contada de varias formas
Muda os personagens, mas não muda o fim.



Francis Gomes