POETA FRANCIS GOMES

POETA FRANCIS GOMES

PALESTRAS, OFICINAS, COMPRA DE OBRAS LITERÁRIAS.

CONTATOS:

contatos:
tchekos@ig.com.br
11 954860939 Tim
11 976154394 Claro

domingo, 31 de julho de 2016

Sem explicação


Quem explicará tanta loucura?
Quem compreenderá meu ser sombrio?
Como em uma noite tão escura?
Arde em chamas, um coração num peito frio?

A solidão por si já é gelada.
Como queima desta forma tão ardente?
Quem ascende esta chama que me abrasa?
De onde vem este fogo assim tão quente?

Que fogo é este que não consigo apagar?
Que dor é esta que ninguém descobre a cura?
Será que existe alguém para me explicar?
Qual o motivo e a razão desta loucura!

Na escuridão de minhas noites em claro,
Pelas colinas sombrias do meu pensamento,
Vago como um lobo solitário,
Como uma folha seca levada pelo o vento.

Como posso ser livre e preso ao mesmo tempo?
Como sou solitário se esta dor comigo caminha?
Falem-me os que têm entendimento...
Pode existir uma dor maior que a minha?

Há um sábio que possa me explicar?
Se existir, a este eu pergunto:
Como pode no gelo uma chama me abrasar?
Amor e a ódio, tristeza e felicidade andarem juntos?






Francis Gomes

Velhice


A velhice não deprime,
Até porque não é crime
E ainda me envaidece
E as rugas quando vêm
Me engrandece também 
Ao passo que aparecem
Porque elas me promovem
Ser mais sábios que os jovens
A medida que elas crescem.




Francis Gomes

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Vulcões em erupção


Andei solitário pela imensidão do espaço 
Como um cometa que vaga sempre sozinho.
Como um pássaro desgarrado, e sem rumo
Voando sem direção e sem  ninho.

Procurei o amor tão loucamente
Semelhante um rio que procura o mar
E nas curvas do meu caminho deixei saudades
Mas nunca ninguém a me esperar.

Lancei-me em muitos braços e abraços como,
Uma onda que se lança na areia a todo o momento,
E ao recuar estava vazio, e mais triste
Como alguém que beija o nada e abraça o vento.

Como um alpinista bravo e corajoso,
Sempre escalei em busca do que eu quis
Apesar de ferido e do mau tempo
Nunca desisti do sonho de ser feliz.

Naveguei em tempestades num mar de ilusões
E voei entre nuvens escuras sem esperança,
Mas por fim encontrei um porto para ancorar
E em teus braços pude pousar com segurança.

Ao te encontrar, a minha solidão chegou ao fim
Fiz em teus seios meu ninho para viver
Hoje escalo cada curva do teu corpo
Até chegar ao topo da felicidade e do prazer.

Uma nuvem de carinhos entre nós
Faz tempestades de desejos se formarem.
Os nossos corpos são vulcões em erupção
Jorrando lavas de amor ao se tocarem.

E abraçados em um êxtase total
Tu me olhas e pergunta se te amo.
Então eu calo os seus lábios com um beijo
E sem palavras o meu amor eu te declamo.


Francis Gomes

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Porque Te amo



Te amo, não é pela sua beleza,
Nem pelos seus cabelos negros,
Nem pela cor dos seus olhos.
Te amo, não é pelo seu sorriso elegante,
Nem sua boca pequena
E seus lábios grandes
Ou seu decote picante.
Não é pela sua voz que sussurra,
Pelos seus braços que me apertam,
E suas mãos que me tocam.
Não é pelo seu corpo bonito
Ou o seu olhar que provoca.
Não é pelo seu jeito atraente,
Nem sua sensualidade
E este teu beijo quente
Nem por que quero te amar.
Te amo por que não mando em meu coração,
Porque não controlo meus sentimentos,
E não consigo te odiar.
Só por isso,
E por isso te amo,
E não consigo deixar de te amar.



Francis Gomes



sexta-feira, 22 de julho de 2016

Culpa



Te olhar como eu te olho é proibido
Te querer como eu te quero é um pecado
Mas que culpa tenho eu de te amar?
E que regras não quebra um apaixonado?

Eu não tenho culpa em te amar tanto
Nem de sentir este desejo que não finda
Você também não é culpada meu amor
A culpa é de quem te fez assim tão linda!

Ninguém tem culpa dos seus sentimentos
E nem escolhe como quer nascer
Não fui eu que escolhi te amar
E nem você escolheu me ver sofrer.

Então te olhar não devia ser proibido
E te querer não podia ser pecado
Você não tem culpa de ser linda
E nem eu de estar apaixonado.


Francis Gomes

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Violentadores e violentadas



Às vezes eu me pergunto
Qual é a graça que tem
Em um pilantra e safado
Que não respeita ninguém
Como quem quer e não quer
Se aproveitar de uma mulher
No ônibus metrô ou trem.

Pergunto a este sujeito
O que ele iria achar
Se atrás dele tivesse
Um tarado a se esfregar.
Para este animal
Seria isso normal?
Será que ia gostar?

Pergunto mais uma vez
A esta mata sem trilha
A esta luz apagada
Estrela que nunca brilha.
Se a mulher abusada
Fosse sua namorada
Irmã sua mãe ou filha?

Responda pra você mesmo
E nem responda pra mim.
Qual seria a punição
Para um sujeito assim?
Porque pra mim este bicho
Eu capo e jogo no lixo
Se dane que achar ruim


Francis Gomes

Medo de amar


Este amor que eu respiro pra viver,
É o mesmo que me mata a cada dia,
O medo de perdê-la me angustia!
De modo que faleço sem morrer.

Meu coração suspira sem conter,
Uivos melancólicos de agonia,
Baila sem música ou melodia,
A cada instante em que te ver.

No mundo encantado dos amores,
Eu morro muito antes de nascer,
E sofro antecipado os dissabores

Com medo de um dia te perder.
E no paraíso que devia ser só flores,
Vejo joio e espinho florescer.





Francis Gomes

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Um sonho real

porque a voz não sai?


Fecho os olhos.
Vejo uma mulher de cabelos grisalhos,
Olhar profundo
Pele enrugada
Mãos calejadas do trabalho
Corpo cansado da batalha diária.

Hora sorri,
Hora chora,
Hora chora,
Hora sorri.
Agora está de braços abertos
Vem em minha direção.
Me abraça forte.
Sinto seu corpo tremer
Ouço as batidas do seu coração
Cada vez mais forte.

Encosta sua cabeça em meu ombro,
Suas lágrimas molham meu rosto,
Escuto ela murmurar ao meu ouvido:
- Eu te amo meu filho.
Quero retribuir com a mesma frase,
Mas a garganta fecha,
A voz não sai.
Choro junto com ela.
Meu coração queima,
Pula, grita de vontade,
Mesmo assim,
E eu não consigo falar,

Mamãe eu te amo também.

Francis Gomes

quarta-feira, 6 de julho de 2016

O valor das palavras



Há momentos que as palavras valem tanto...
Muito mais que um presente, no entanto,
Quando ditas de um modo carinhoso.
Mesmo que seja um simples parabéns.
Tudo acaba, e os presentes também,
Mas as palavras deixam o amor mais viçoso.

Que seus anos sejam semelhantes à lua,
Que a cada fase sabiamente se recua,
Para voltar cheia de encantos e mais bela!
Como uma pluma lá no céu ela flutua,
Se derrama e se espalha sobre a rua,
O tempo passa e ela nunca fica velha.

Que seus olhos nunca parem de brilhar,
E seu sorriso nunca deixe de encantar,
Mas permaneça com o mesmo resplendor!
Que sempre tenhas um motivo prá sonhar,
E os seus sonhos venham se concretizar,
Da mesma forma que você os projetou.

Que a esperança se renove a cada dia,
E eu possa tê-la sempre em minha companhia,
E juntos multiplicarmos os nossos bens.
Que o nosso amor seja sempre fervoroso,
E você seja o meu bem mais precioso
E eu possa dar-te muito mais que parabéns.

E que você nessa sua trajetória,
Junto comigo forme uma só história,
Onde o amor, Serve-nos como lençóes.
Que este amor, nunca perca sua magia,
E os poetas possam cantá-lo em poesia,
Às gerações que virão depois de nós.


Francis Gomes