POETA FRANCIS GOMES

POETA FRANCIS GOMES

PALESTRAS, OFICINAS, COMPRA DE OBRAS LITERÁRIAS.

CONTATOS:

contatos:
tchekos@ig.com.br
11 954860939 Tim
11 976154394 Claro

domingo, 17 de junho de 2018

O conversar dos seres




Numa noite escura, de tristeza imensa,
O vento uivava em minha janela,
O céu coberto com uma nuvem densa,
Não me trazia o vento uma notícia dela.
Numa noite escura, de tristeza imensa.

Olhei o céu, mas não tinha estrelas,
Uma nuvem negra tirava a visão,
Mesmo que tivesse, não podia vê-las,
Uma dor cegava-me, e na escuridão,
Olhei o céu, mas não tinha estrelas.

Perguntei ao vento cavaleiro errante...
Tu, que no espaço vive a cavalgar,
Tu que és um eterno viajante,
Viste meu amor em algum lugar?
Perguntei ao vento cavaleiro errante.

Respondeu-me ele com palavras duras:
-Sou eu por ventura mensageiro teu?
-Já não basta a ordem, do Deus das alturas?
-Que me faz soprar até quem morreu
Respondeu-me o vento com palavras duras.

No passar da noite, com a aurora vinda,
Eu fiquei ouvindo o conversar dos seres:
Murmurava a relva: - não tem sol ainda?
Respondia a flor: - Tu não podes ver?
No passar da noite, com a aurora vinda.

Suplicava as trevas: - noite não vá
Festejava as rosas:- o sol esta vindo
Falava o escuro: - eu irei voltar
Gorjeava os pássaros: - como o dia é lindo!
Suplicava as trevas: - noite não vá

Quando a brisa mansa soprou sobre a terra,
E eu vi nos seres aquela alegria,
Quando o sol surgiu por detrás da serra,
Aquela tristeza de mim também fugia,
Quando a brisa mansa soprou sobre a terra.
O meu coração muito se alegrou,
De maneira como, não se alegrara dantes,
Vendo as maravilhas que o Senhor criou,
De uma forma que eu nunca vira antes.
O meu coração muito se alegrou.

Ouvindo assim o conversar dos seres,
Numa noite escura e ao romper da aurora,
Perguntou-me a luz: - Para que sofreres
Se até mesmo as trevas muitas vezes chora?
Ouvindo assim o conversar dos seres.

Francis Gomes


sábado, 2 de junho de 2018

Como se escreve um poema de amor


Escrever um poema de amor
É um trabalho artesanal
Junte cada ingrediente
Da forma mais original
Aprimore com a técnica
Caso queira use a métrica
Com rimas ricas no final

Selecione bem as palavras
E vá estruturando os versos
Ajuste bem nas estrofes 
Para que não fiquem dispersos
Não tenha pressa vá com calma
No íntimo de sua alma
Deixe um pouco submersos

Junte bastante sentimento
Uma pitada de romantismo
Uma porção grande de amor
Com um toque de erotismo
Apimente com sexualidade
Tempere com musicalidade
Um toque de cadência e lirismo

Depois escute o coração
E seja apenas escritor
Passe tudo para o papel
Como ouvir, sem tirar nem por.
E é assim, simples assim
Que se escreve do começo ao fim
Um poema de amor

Francis Gomes

sábado, 26 de maio de 2018

Abraço




Há vários tipos de abraços é verdade
O falso, o fingindo o sem vontade
O abraço verdadeiro de um amigo
O abraço triste da partida
Acompanhado da lágrima da despedida
Dói tanto que até parece um castigo

Aquele abraço que tira a gente do trilho
Do pai, da mãe de um filho
O abraço de um verdadeiro irmão
O abraço da chega, da saída
Um instante que vale por uma vida.
O abraço como pedido de perdão.

O abraço tímido do primeiro encontro
Que pouco a pouco passado do ponto
E a gente nem percebe que está passando
Aquele abraço no banco da praça
Meio de lado meio sem graça
Mas quando percebe já esta beijando

O abraço entre amantes, carinhoso
Aquele abraço malicioso
Que a gente cola rosto com rosto
O abraço propositalmente  atrevido
Que da para sussurrar ao pé do ouvido
Ser mordido e morder o pescoço exposto

Francis Gomes



sábado, 19 de maio de 2018

O amor não tem imposições




Te amo sem exigir nada em troca
Nem teu corpo nem o teu amor
Não que eu não deseje o teu beijo
E nem queira sentir teu o calor
Mas te amo sem nenhuma imposição
De crença, classe social ou posição
Do que você é e muito menos que eu sou

Te amo não porque não tenhas defeitos
Ou porque te acho uma pessoa perfeita
Mas porque admiro muito tuas virtudes
E os teus defeitos o meu amor aceita
O meu amor não é cego, apenas incolor
Os meus olhos preto e branco ver alem cor
Mas meu sentimento indomável te respeita

Não foi você que me obrigou te amar
Também não posso te obrigar a me querer
Sendo assim só me restam duas saídas
Só existem duas coisas a fazer
Ou tenho a sorte de um dia te conquistar
Ou te amo sem nada te cobrar
Até um dia conseguir te esquecer



Francis Gomes