POETA FRANCIS GOMES

POETA FRANCIS GOMES

PALESTRAS, OFICINAS, COMPRA DE OBRAS LITERÁRIAS.

CONTATOS:

contatos:
tchekos@ig.com.br
11 954860939 Tim
11 976154394 Claro

quarta-feira, 22 de junho de 2016

O viajante


Às vezes olhando da janela do meu Eu
Vejo ao longe no horizonte infindo
As curvas sinuosas das estradas que passei
E a luz da vida dia a dia se indo

Estrada que não fica rastros
Porque o vento apaga-os facilmente
E o tempo amigo ou inimigo, não sei,
Se encarrega de apagar da mente.

As imagens vistas e vividas se turvam,
E por mais que queira não volta atrás.
O que vi e vivi nesta longa estrada
Agora se foi bom ou ruim tanto faz.

O tempo, o peso da idade fragiliza-me
Faz-me sentir frio nesta jornada.
E percebo que é noite e a janela do meu Eu,
Estar aberta e precisa ser fechada.

E tudo ficará no esquecimento,
O viajante como se não tivesse existido
As curvas, a estrada, a estrada as curvas
Tanto um como outro será esquecido.


Francis Gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário